27.5.08

agora!






Parte do processo de uma página (que acabamos cortando, hehe) de uma história em quadrinhos que estou produzindo junto a Emílio Fraia (que escreve para revistas como Trip e Piauí). Esta história faz parte de um projeto super legal que envolve vários caras foda da literatura e quadrinhos atuais, trabalhando juntos para criar histórias que deverão virar filmes.

Este é um projeto da RT features, encabeçado pelo Joca Terron. Leia sobre.

Outras duplas participantes: Daniel Galera e Rafael Coutinho, Daniel Pelizzari e Rafael Grampá, Indigo e André Kitagawa, Joca Terron e AB Ducci (camarada de Curitiba!).


:: (alien lanes) Guided by voices

6 comentários:

giltokio disse...

olha! só gente genial nesse projeto!
difícil sair algo ruim disso.
vai sair em quadrinhos antes de virar filme?

André Ramiro disse...

GBV em curitiba.
Produção: DW e ruído cia.
hahaha
abs

dw disse...

Sim, Gil, vamos ter uns álbuns DE-CEN-TES aí ano que vem! abraço!

neri disse...

Dw,
quero comprar um quadro seu.
podemos combinar na lúmen na gravação do UV - que tal?

dw disse...

Neri, escolha aí a imagem então (o número de cima pra baixo, da direita para esquerda) e o tamanho. Vou lá sim e levo cd!

Vitor Batista disse...

que maravilha!! ê coisa bom vindo aí!! boa sorte, darlan!








OLÁ! Meu nome é DW RIBATSKI.

PARABÉNS SR. ARTISTA PROFISSIONAL!

Meu trabalho é um enfrentamento dos arquétipos que transcendem o limite da existência multisensorial como projeção do imaginário dentro da realidade espaço/temporal através da fragmentação do não-ser do não-lugar e do não-qualquercoisa que cria terminologias para que a essencialidade primitiva da metáfora alcance o objeto por interação seja ela manifestação sensória heterogêna ou rizomática. Para tanto a (re)criação do objeto como obsoleto supõe através da reflexão e possivel mediação processual a aproximação da produção de um conceito de trabalho que estimule de forma financeira a produção. Toda perfomance que contempla o horizonte objetivo do ser através de múltiplas poéticas randômicas de dicotomia é analisada pelo sensível êfemero que através do urbano contemporâneo sintetiza signos dentro do cotidiano das relações e analogia a paradigmas ainda que se sustente por princípios que sintetizam sua própria subjetividade inerente. Ao passo contempla-se relações cacofônicas de multisentidos em obstrução à algum tipo de ruído imersivo dentro da idéia de Chade Picaminha e Piazón Deboesta.


‎"(...) Eu só pensei que deveria estar fazendo música. Parecia pra mim que esse era o próximo passo depois da POP ART, entrar diretamente numa forma popular de cultura ao invés de comentá-la."
KIM GORDON