24.3.09

SOBRE CAFÉS E MUDANÇAS




Ok. Estou já em São Paulo. Bom é não ter que pagar passagem e nem pegar ônibus de Curitiba pra cá para ver KRAFTWERK e RADIOHEAD. (sensacionais, por sinal). Apesar da correria por aqui a Juliana cobrou e agora tive que fazer posts novos.rs.


Já fiz (e estou fazendo alguns trabalhos enquanto estou aqui), por exemplo este para a revista ESPRESSO, que você poderá encontrar, óbvio, em cafeterias. (clica no link para ler a matéria completa). Olha as imagens acima e tenta adivinhar de que país é cada café!

***

Aproveitando a deixa, outro link, de um trabalho que fiz faz um tempo para a revista COQUETEL MOLOTOV da laboriosa Recife! Nesta edição também tem trabalhos do amigo Heitor e da parcera Constance Pinheiro.

***

Este cartaz (aqui a versão ainda sem informações) fiz para a BICICLETADA, uma "passeiada" a favor das bicicletas em Curitiba. A maioria das cidades da Europa incentiva o uso da bicicleta, ajuda a melhorar o ar da cidade, congestionamentos e até mesmo a violência, visto que a síndrome SENHOR ANDANTE/SENHOR VOLANTE é recorrente aos brasileiros (diz a Superinteressante que 74% dos motoristas acelera ao ver pedestres no caminho). Este cartaz faz parte de uma série, com vários artistas, quem organizou isto foi o GUILHERME CALDAS da instigadora CANDYLAND COMICS. Veja todos os cartazes!

***


Mais: um trabalho que acabou não rolando, mas para que não seja uma pena somente, aqui estão os esboços e a vr. final. O tema era "minuto de silêncio".

***

A HQ que eu e Emilio Fraia estávamos fazendo teve que ser praticamente toda reformulada, então em breve posto as páginas que não serão utilizadas para que pelo menos o limbo dê conta delas!


:: Silly Really ( Per Gessler)


Um comentário:

Juju disse...

oba, até que enfim!
sempre ótimo ver teus desenhos/cartazes.

ainda tô tentando desvendar a origem dos cafés, mas o de chapéu panamá só pode ser panamenho.

boa sorte em são paulo, sigo pela ilha acompanhando os fluxos virtuais.

beijo!








OLÁ! Meu nome é DW RIBATSKI.

PARABÉNS SR. ARTISTA PROFISSIONAL!

Meu trabalho é um enfrentamento dos arquétipos que transcendem o limite da existência multisensorial como projeção do imaginário dentro da realidade espaço/temporal através da fragmentação do não-ser do não-lugar e do não-qualquercoisa que cria terminologias para que a essencialidade primitiva da metáfora alcance o objeto por interação seja ela manifestação sensória heterogêna ou rizomática. Para tanto a (re)criação do objeto como obsoleto supõe através da reflexão e possivel mediação processual a aproximação da produção de um conceito de trabalho que estimule de forma financeira a produção. Toda perfomance que contempla o horizonte objetivo do ser através de múltiplas poéticas randômicas de dicotomia é analisada pelo sensível êfemero que através do urbano contemporâneo sintetiza signos dentro do cotidiano das relações e analogia a paradigmas ainda que se sustente por princípios que sintetizam sua própria subjetividade inerente. Ao passo contempla-se relações cacofônicas de multisentidos em obstrução à algum tipo de ruído imersivo dentro da idéia de Chade Picaminha e Piazón Deboesta.


‎"(...) Eu só pensei que deveria estar fazendo música. Parecia pra mim que esse era o próximo passo depois da POP ART, entrar diretamente numa forma popular de cultura ao invés de comentá-la."
KIM GORDON