24.8.09

POLÉXIA




Poxa, desculpa aos amigos do Poléxia pelo atraso. Fiz essa capa pra esse disco lançado em 2008. (Pô, me veio agora o gosto do ar da época). Chama-se A FORÇA DO HÁBITO. A banda (como várias ótimas da cena curitibana) encerrou atividades em 2009. O que aconteceu em 2008? Será que foi uma explosão de energia tão grande que não foi possível segurá-la em pé? Bem, fica aí nossos registros e que venham os novos caminhos. (Lembrei agora do incrível show tributo que a banda fez a Tim Maia ano passado também).


Abaixo uma idéia anterior à capa escolhida, onde os fãs poderiam juntar suas capas e montar mosaicos. Bem, além desta, uma outra parceria foi o Rodrigo Lemos (vocalista e guitarrista) que ter participado da produção de "A encruzilhada"do JRDT. (Lembranças também da família Lemos, gente fina...)

Longa vida ao passado, lá onde está! Vamos visitá-lo sempre que pudermos! (chuif!)

:: O Radar (Poléxia)

Nenhum comentário:








OLÁ! Meu nome é DW RIBATSKI.

PARABÉNS SR. ARTISTA PROFISSIONAL!

Meu trabalho é um enfrentamento dos arquétipos que transcendem o limite da existência multisensorial como projeção do imaginário dentro da realidade espaço/temporal através da fragmentação do não-ser do não-lugar e do não-qualquercoisa que cria terminologias para que a essencialidade primitiva da metáfora alcance o objeto por interação seja ela manifestação sensória heterogêna ou rizomática. Para tanto a (re)criação do objeto como obsoleto supõe através da reflexão e possivel mediação processual a aproximação da produção de um conceito de trabalho que estimule de forma financeira a produção. Toda perfomance que contempla o horizonte objetivo do ser através de múltiplas poéticas randômicas de dicotomia é analisada pelo sensível êfemero que através do urbano contemporâneo sintetiza signos dentro do cotidiano das relações e analogia a paradigmas ainda que se sustente por princípios que sintetizam sua própria subjetividade inerente. Ao passo contempla-se relações cacofônicas de multisentidos em obstrução à algum tipo de ruído imersivo dentro da idéia de Chade Picaminha e Piazón Deboesta.


‎"(...) Eu só pensei que deveria estar fazendo música. Parecia pra mim que esse era o próximo passo depois da POP ART, entrar diretamente numa forma popular de cultura ao invés de comentá-la."
KIM GORDON