15.1.10

MIRO NO CAMINHO DO ELDORADO



Uma invasão propícia de felinos! Meu gato Miro veio finalmente morar comigo em SP, depois de 6 horas chapadinho chegamos e ele está se adaptando muito bem! Finalmente uma casa onde um macho alfa pode exercer seu domínio!
Segue algumas fotos dele com uma "roupinha"que eu coloco às vezes pra mostrar pras visitas o quanto ele é engraçado. Eu ponho e ele sai desfilando (até por isso as fotos estão meio borradas):

Pra completar, veja que engraçado, é mais difícil de perceber pelas fotos que olhando no mundo real, mas nos fundos do apartamento que eu moro tem umas manchas... essa me pareceu uma homenagem à chegada do Miro:


:: Punk Rock (Mogway)

2 comentários:

Sol disse...

miro gato!

wendyferreto disse...

Absolute Miro.








OLÁ! Meu nome é DW RIBATSKI.

PARABÉNS SR. ARTISTA PROFISSIONAL!

Meu trabalho é um enfrentamento dos arquétipos que transcendem o limite da existência multisensorial como projeção do imaginário dentro da realidade espaço/temporal através da fragmentação do não-ser do não-lugar e do não-qualquercoisa que cria terminologias para que a essencialidade primitiva da metáfora alcance o objeto por interação seja ela manifestação sensória heterogêna ou rizomática. Para tanto a (re)criação do objeto como obsoleto supõe através da reflexão e possivel mediação processual a aproximação da produção de um conceito de trabalho que estimule de forma financeira a produção. Toda perfomance que contempla o horizonte objetivo do ser através de múltiplas poéticas randômicas de dicotomia é analisada pelo sensível êfemero que através do urbano contemporâneo sintetiza signos dentro do cotidiano das relações e analogia a paradigmas ainda que se sustente por princípios que sintetizam sua própria subjetividade inerente. Ao passo contempla-se relações cacofônicas de multisentidos em obstrução à algum tipo de ruído imersivo dentro da idéia de Chade Picaminha e Piazón Deboesta.


‎"(...) Eu só pensei que deveria estar fazendo música. Parecia pra mim que esse era o próximo passo depois da POP ART, entrar diretamente numa forma popular de cultura ao invés de comentá-la."
KIM GORDON